sábado, 23 de Junho de 2012

Rotulo 2.0 - Etiquette 2.0

Depois da série do copo ( http://vinhotibicadas.blogspot.fr/2012/04/propostas-de-rotulos-propositions.html ), aqui esta uma segunda proposta de conceito de rotulo. 
Esta versão ainda não esta acabada, ainda falta algum trabalho.
No entanto, com o autor, o meu amigo Antonio Rodrigues, gostariamos de conhecer a vossa opinião sobre este rotulo potencial. Por isso o vosso comentario sera benvindo.


Après une première série sur le verre ( http://vinhotibicadas.blogspot.fr/2012/04/propostas-de-rotulos-propositions.html ), voici une deuxième proposition de concept d'étiquette.
Cette version n'est pas finalisée, il reste encore un peu de travail.
Néanmoins, avec l'auteur, mon ami Antonio Rodrigues, nous souhaiterions recueillir vos avis sur cette étiquette potentielle. Vos commentaires seront donc les bienvenus.




Neste caso, o rotulo representa um azulejo, peça tipica da arte e da cultura portuguesa.
Neste azulejo encontramos em primeiro plano uma cêpa velha e em segundo plano a Serra da Estrela.

Cette fois-ci, l'étiquette représente un azulejo, pièce céramique typique de l'art et de la culture portugaise. 
Dans cet azulejo, nous trouvons en premier plan un vieux cep de vigne et en fond la montagne Serra da Estrela.

Digam-la a vossa justiça!
Os comentarios construtivos poderam ajudar a finalizar o trabalho.
Bem haja!

Donnez votre avis, vos commentaires constructifs nous aiderons à finaliser ce travail.
Merci!

2 comentários:

  1. Penso que a ideia está muito boa e o resultado bastante positivo, a única sugestão que faria, era conseguir encontrar uma cepa com uma silhueta mais atractiva.
    MHGF

    ResponderEliminar
  2. Muito Bom Dia Caro António,

    Antes de mais, deixe-me que o felicite pelo seu blog e iniciativa.
    Quanto ao rótulo, não obstante a sua estruturação e escolha final ser um processo pessoal (i.e., dos envolvidos da concepção transversal do vinho) e, por fim, poder contar com a ajuda de alguém que já tenha tido a oportunidade de provar o produto em causa, este deve ser sempre a marca da sua casa. Ou seja, os rótulos dos vinhos devem dizer algo sobre o vinho (o próprio, o espaço, a categoria, o público alvo….) e por isso ser tão importante a sua definição (alias, os olhos são os primeiros a beber).
    Por exemplo, o desenho que coloca à nossa consideração, pela sua indefinição, baixa consistência de traço e cores alvas transmite a sensação de um vinho jovem, de cor clara, macio, pouco encorpado, com um final curto, adocicado (talvez um branco/verde). O que pode ser o objectivo do seu vinho e, nesse caso, o caminho é o mais correcto. Agora se pretende um vinho com outras características transmita isso no rótulo. Por exemplo, de definição ao desenho (sem que este tenha de mudar a sua estrutura) defina bem o azulejo, realce o nome do produto, coloque a cepa mais “viva” de forma a que seja o centro de atenção ou de mais “vida” à paisagem se é esse o seu foco primordial…

    Bem-haja,
    Alfredo

    ResponderEliminar